INSS muda mais uma vez as regras para análise de concessões de benefícios

Benefícios mais impactados pela MP nº 1113/22 foram o auxílio-acidente e o antigo auxílio-doença. Foto: Divulgação

A Medida Provisória nº 1113/22, publicada no último dia 20 de abril, traz mudanças na análise para concessões de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), com o objetivo de acelerar esses processos diminuindo, assim, a fila de espera.

De acordo com publicação do site FDR, o auxílio por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença) e o auxílio-acidente foram os mais afetados pelas novas regras. No primeiro caso, a principal mudança envolve a dispensa da perícia feita no INSS. Sendo assim, quem desejar receber o benefício precisará apresentar apenas laudo e atestado médicos comprovando a condição de saúde.

Essa dispensa já havia sido adotada entre 2020 e 2021, em decorrência das limitações impostas pela pandemia de Covid-19. “A concessão poderá ser simplificada, incluindo a análise documental, feita com base em atestados e laudos médicos. Mais detalhes serão definidos em novos normativos em breve”, informa o INSS.

Por outro lado, conforme o site FDR, quem recebe o auxílio-acidente precisará agora fazer perícias periodicamente, para comprovar que ainda tem direito ao benefício.

“O auxílio-acidente passa a receber mesmo tratamento já dado ao auxílio por incapacidade temporária e à aposentadoria por incapacidade permanente (antiga aposentadoria por invalidez)”, de acordo com o INSS.

Os trabalhadores que recebem esse benefício também precisarão fazer exame médico pela Previdência Social, além de processo de reabilitação profissional e tratamento para voltar às condições de trabalho.

Perícias

Ainda segundo o site FDR, o INSS conta atualmente com uma fila de 1,6 milhão de pedidos por benefícios, sendo que a maioria (mais de 1 milhão) aguarda pela perícia médica. Para aliviar esse cenário, a MP estabelece incentivos para a realização de mais perícias.

Os peritos que realizarem mais procedimentos que a meta estabelecida pela unidade onde atuam receberão os chamados pagamentos de tarefas extraordinárias. Esses pagamentos também valerão para servidores que fizerem a análise de pedidos e revisão de benefícios com prazo administrativo já estourado.

Recursos

A MP nº 1113/22 também mudará a forma como os recursos dos segurados contra o resultado de perícias serão examinados pelo INSS.

A partir de agora, a análise dos recursos fica a cargo da Subsecretaria da Perícia Médica Federal, “por autoridade superior àquela que realizou o exame pericial inicial”, o que tende a agilizar os procedimentos.

Tem dúvidas sobre seus direitos previdenciários, trabalhistas e do consumidor? Entre em contato conosco pelo e-mail romergonzaga@yahoo.com.br ou pelo WhatsApp 62 99318-4343!

Texto adaptado pela assessoria de comunicação do Escritório Romer Gonzaga Advogados com informações do site FDR e INSS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.